Sincopol vai reivindicar nomeações de concurso da Polícia Civil para base

58

O Sincopol (Sindicato Regional dos Policiais Civis do Centroeste Paulista) vai reivindicar formalmente ao governo do Estado de São Paulo a nomeação para sua base dos aprovados em concurso para a Polícia Civil autorizado através de publicação no Diário Oficial no começo do mês.

As Delegacias Seccionais de Marília, Assis, Tupã e Ourinhos sofrem com a falta de profissionais, situação que se torna cada vez mais crítica.

Nos últimos certames, a região teve a nomeação insuficiente de aprovados, diante do déficit crescente de profissionais que atuam das Delegacias de Polícia Civil, como lembra o presidente do Sincopol, Celso José Pereira. “Vamos enviar ofício ao Delegado-Geral de Polícia cobrando a nomeação de Policiais Civis para nossa base”, afirma o sindicalista.

Nos últimos dias a Fundação para o Vestibular da Universidade Estadual Paulista (Vunesp) foi confirmada como a banca que deve realizar o concurso que prevê o preenchimento de vagas de Delegado, Investigador de Polícia, Escrivão de Polícia e Médico Legista.

A expectativa é de que o edital seja publicado ainda este ano e a prova seja aplicada no começo de 2022. São previstas 2.939 vagas no certame.

Serão 1.600 vagas para Escrivão de Polícia, com salário de R$ 3.931,18 e exigência de nível superior em qualquer área e CNH B ou superior. Também estão previstas 900 vagas para Investigador de polícia, igualmente com salário de R$3.931,18 e nível superior em qualquer área e CNH B ou superior.

No caso dos Delegados, são 250 vagas, salário de R$10.382,48 e exigência de nível superior em Direito e experiência de dois anos. Para Médico Legista são 189 vagas, salário de R$8.699,94 e requisito de nível superior em Medicina e CNH B ou superior.