Sincopol entrega reivindicações ao secretário executivo da Polícia Civil

107

Um ofício protocolado no dia 1º de outubro junto ao gabinete do secretário executivo da Polícia Civil do Estado de São Paulo, Youssef Abou Chahin, apresenta uma série de reivindicações em nome da categoria. A iniciativa é do Sincopol (Sindicato Regional dos Policiais Civis do Centroeste Paulista) e demais entidades que compõe a Feipol (Federação Interestadual dos Policiais Civis) Sudeste.

“Estamos buscando justiça por meio de conquistas já reconhecidas em lei, tal como nível superior para carreiras de Escrivão e  Investigador, além de do respeito e reconhecimento de todas as carreiras policiais por parte da Secretaria de Segurança”, afirma o presidente do Sincopol, Celso José Pereira.

“Entre as principais reivindicações estão alterações no texto da minuta do PLC (Projeto de Lei Complementar) que tramita pelo Departamento de Administração e Planejamento da Polícia Civil, visando reestruturação das carreiras policiais civis”, completa o sindicalista.

As demandas são: pagamento da GAT (Gratificação de Auxílio de Atividade Policial) para todas as carreiras policiais civis; remuneração compatível com nível superior para as carreiras de Investigador e Escrivão de Polícia; participação das demais carreiras que compões o quadro da Polícia Civil no Conselho Consultivo da instituição; classe especial I e II para a demais carreiras da Polícia Civil nos moldes constantes no PLC para a carreira dos Delegados de Polícia; e nível superior para a nova carreira de Agente de Polícia que no texto da minuta do PLC tem exigência de nível médio.

O ofício foi protocolado pelo 1º Diretor Executivo do Estado de São Paulo da Feipol Sudeste, Aparecido Lima de Carvalho, que também preside o Sinpol Campinas. “Kiko’’, como o sindicalista é conhecido, se reuniu com uma comissão de representantes da categoria junto ao chefe da Polícia Civil em reunião recente.

Um dos assuntos tratados pessoalmente com Youssef Abou Chahin foi a campanha salarial para o ano que vem, diante da enorme defasagem que os policiais civis enfrentando nos últimos anos. “Saímos da reunião com uma boa impressão de que em 2022 haverá uma reposição salarial para compensar as perdas nos últimos anos ou uma reestruturação que deverá beneficiar todas as carreiras da polícia civil”, afirmou Kiko.

FOTO: Representantes dos sindicatos da Polícia Civil em reunião com secretário executivo da instituição (Foto: Divulgação)