Sincopol defende Delegacia Eletrônica em tempos de pandemia

65

O Sincopol (Sindicato Regional dos Policiais Civis do Centroeste Paulista) é favorável à ampliação dos crimes que podem ser registrados por meio da chamada Delegacia Eletrônica, medida anunciada pela Polícia Civil de São Paulo nos últimos dias em decorrência da pandemia do novo coronavírus.

Para o presidente da entidade sindical, Celso José Pereira, que representa policiais civis de  mais de 50 municípios na área das Delegacias Seccionais de Assis, Ourinhos, Tupã e Marília, reduzir a circulação de público dentro das delegacias é uma ação importante para proteger a população e também os policiais.

“Os crimes precisam sim ser investigados, e serão. Mas se temos condições, por meio da tecnologia, de evitar um contato mais intenso entre os agentes, escrivães, investigadores e outros policiais civis com a população, isso deve sim ser levado em conta. Já ocorrências mais graves, seguem com atendimento normal”, explica Celso.

O sindicalista pede que a população respeite as novas determinações sobre o assunto, com o objetivo de conter o avanço da Covid-19, a doença causada pelo novo coronavírus.

Seguem com atendimento presencial as seguintes ocorrências: morte e desaparecimento de pessoa; violência doméstica ou praticada contra crianças e adolescentes; estupro, sequestro e cárcere privado; roubo e/ou extorsão; situação de flagrância (crime, infração de menor potencial ofensivo e ato infracional).

Outros crimes, que antes não podiam ser registrado pela Delegacia Eletrônica, agora podem. Será possível notificar pela internet roubo ou furto a residência, roubo ou furto a estabelecimento comercial, crimes contra o consumidor, roubo ou furto de carga, ameaça e estelionato, entre outros.

A partir do registro feito pelo cidadão no portal, as ocorrências serão avaliadas pela Central Eletrônica de Polícia Judiciária da área do fato.

O delegado responsável, assim que receber a notificação, fará o enquadramento da natureza do crime e adotará as medidas cabíveis, como entrar em contato com a vítima e providenciar as diligências e perícias necessárias. A vítima também vai receber mensagem por e-mail com as devidas requisições de perícia médico-legal, juntamente com uma cópia do boletim de ocorrência finalizado.

Acesso

A Delegacia Eletrônica pode ser acessada a partir de computadores, smartphones ou tablets, por meio do endereço eletrônico www.delegaciaeletronica.policiacivil.sp.gov.br.