SINCOPOL DEBATE IAMSPE COM OUTROS SINDICALISTAS DA POLÍCIA CIVIL

94

A precarização do Instituto de Assistência Médica ao Servidor Público Estadual de São Paulo (Iamspe) foi o principal assunto da reunião realizada nesta quarta-feira (24) entre o presidente do Sincopol (Sindicato Regional dos Policiais Civis do Centroeste Paulista), Celso José Pereira, e os representantes de outros dois sindicatos da categoria.

Estiveram na sede do Sincopol, no Centro de Marília, o presidente do Sipol (Sindicato dos Policiais Civis) Bauru, Márcio Cunha, e o presidente da Federação Interestadual da Polícia Civil da Região Sudeste (Feipol Sudeste), Márcio Pino. As três entidades integram a Cobrapol (Confederação Brasileira de Trabalhadores Policiais Civis).

O Iamspe é uma autarquia do Estado ligada à Secretaria de Governo que tem como principal objetivo prestar atendimento médico aos funcionários públicos de São Paulo, seus dependentes e agregados. Em Marília, o Sincopol denuncia a demora de até dois meses para agendar um exame básico como o de sangue.

DEPOIMENTOS

Cunha explica que a vinda até Marília faz parte de um giro pelo interior em companhia de Pino, após denúncias feitas por filiados do Sipol Presidente Prudente sobre uma série de problemas envolvendo o Iamspe, desde o descredenciamento de serviços terceirizados, até demora de meses por simples exames – como é o caso local.

“O presidente da Feipol, Márcio Pino, fez um levantamento do Estado inteiro e constatou que não é um problema isolado. Em Bauru participamos da manifestação contra a situação do Iamspe e também fizemos questão de vir até Marília conversar pessoalmente com o Celso, uma importante liderança sindical do interior do Estado”, comenta Cunha.

Pino completa que o encontro com o presidente do Sincopol também serviu para discutir outros temas, como Reforma Administrativa, arrocho salarial, precarização das condições de trabalho para os Policiais Civis, déficit de servidores e outros desafios da categoria.

“Esse contato com as bases é fundamental para direcionarmos nossas políticas sindicais, nossos posicionamentos e lutas. Temos conseguido minimizar os ataques que nossa categoria vem sofrendo. Não fosse o trabalho do movimento sindical, os danos seriam muito maiores. Nosso objetivo é, não só reverter perdas, mas também avançar nos direitos”, declara Pino.

O presidente do Sincopol, Celso, completa a fala dos demais sindicalistas agradecendo a visita. “Tanto Márcio Cunha, nosso amigo de Bauru, quanto o Márcio Pino, que nos representa na Feipol Sudeste, são dois sindicalistas comprometidos com a causa. Esse contato pessoal é sempre muito importante para a troca de experiências e fortalecimento de toda a categoria”, garante o mariliense.

LEGENDA: Valdecir Reginatto (diretor Sincopol), Márcio Pino (presidente Feipol Sudeste), Celso José Pereira (presidente Sincopol) e Márcio Cunha (presidente Sinpol Bauru).