Sincopol apoia abaixo-assinado contra ‘PEC da corrupção e imoralidade’

20

O Sincopol (Sindicato Regional dos Policiais Civis do Centroeste Paulista) apoia o abaixo-assinado contra a PEC (Proposta de Emenda Constitucional) 32/2020, também chamada de “Reforma Administrativa”, mas que na verdade deve favorecer a corrupção e a imoralidade pública. Para aderir, acesse: https://assinaturas.cobrapol.org.br.

O presidente do Sincopol, Celso José Pereira, pede apoio de toda a base de filiados para divulgação do baixo-assinado que será encaminhado ao Congresso Nacional e outras autoridades.

“Esta é mais uma iniciativa dos representantes da Polícia Civil, mais especificamente do Sinpol/ES, com apoio da Cobrapol, entidade que fazemos parte e representa nossa categoria em nível nacional”.

“Precisamos todos nos mobilizar contra mais essa ameaça contra as forças de segurança e todo o funcionalismo”, afirma o sindicalista. Celso lembra que o Sincopol também apoiou as manifestações de rua recentes, realizadas por todo o país, contra o avanço da “PEC da corrupção de imoralidade pública”.

Saiba por que a população, os profissionais de segurança pública e demais servidores públicos devem ser contra a PEC 32:

  1. A PEC 32 abre espaço para mandos e desmandos no serviço público, permitindo a demissão arbitrária de servidores, abrindo espaço para perseguições de todo tipo – inclusive de cunhopolítico;
  2. Cargos preenchidos por indicaçãopolítica – Também vai permitir contratações sem os concursos públicos que, nas últimas décadas, moralizaram o acesso ao serviço público. Voltaremos a viver a época o Brasil Império onde apenas os “amigos do rei” eram indicados para os cargos públicos;
  3. Fim da estabilidade do servidor público – Você policial, poderá ser demitido por influênciapolítica;
  4. Fim do Regime Jurídico Único – A segurança jurídica é fundamental para que o policial aja independentemente depolítica. Serve para que o policial realize um serviço isento e siga exclusivamente o que preceitua a lei;
  5. Fim de progressões – A PEC 32 acaba com a progressão exclusivamente por tempo;
  6. Fim do concurso público – Sem o concurso público, o ingresso será por seleção simplificada, vínculo de prazo determinado, todos sem estabilidade. Haverá pessoas acessando informações sigilosas sem ter responsabilidade com o serviço público e a sociedade. O profissional estará refém do agentepolítico para avaliação de desempenho para se manter no cargo. Ainda permitirá que o crime organizado se infiltre na polícia civil;
  7. Enfraquecimento daPolícia Civil – as perseguições que comumente ocorrem hoje se intensificarão ao ponto que impedirá o policial civil de trabalhar;
  8. Aposentadoria ameaçada – Os novos “servidores” estarão no Regime Geral da Previdência Social sem direito à paridade e à integralidade com proventos até o teto do INSS;
  9. Aposentados também terão perdas – A paridade e integralidade daqueles que se aposentaram perderá a utilidade porque os novos policiais não terão plano de cargos e salários adequado.