Representantes do Sincopol participam do 1º Congresso de Forças de Segurança

67

Representantes do Sincopol (Sindicato Regional dos Policiais Civis do Centroeste Paulista), por meio da Cobrapol (Confederação Brasileira de Trabalhadores Policiais Civis), vão participar do primeiro Congresso Nacional das Forças de Segurança Pública, que está marcado para os dias 5, 6 e 7 de maio, no Museu da República, em Brasília (DF).

O local do encontro foi definido nesta semana em reunião que contou com a presença de membros da Fenapef (Federação Nacional dos Policiais Federais) e da FenaPRF (Policiais Rodoviários Federais).

Além disso, estão sendo definidos o formato dos debates e os nomes dos painelistas e palestrantes. Foi a segunda vez que o grupo se reuniu para definir as estratégias para o Congresso.

O presidente do Sincopol, Celso José Pereira, que representa policiais civis de aproximadamente 50 municípios englobados pelas Delegacias Seccionais de Marília, Assis, Tupã e Ourinhos, destaca a importância desse tipo de reunião.

“Temos interesses em comum com as outras forças policiais e, unidos, somos muito mais fortes. O trabalho que o presidente da Cobrapol, André Luiz Gutierrez, vem fazendo nesse sentido é extremamente importante”, avalia Celso.

A ideia é contar com a participação de um ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) para fazer a abertura do evento, no dia 5. Nos dias 6 e 7, o formato será de palestras com especialistas e jornalistas. No final, um debate e a redação de uma Carta com as conclusões dos debates.

Entre os temas, estão a Reforma da Previdência e seus impactos para a categoria; a implementação da porta de entrada única em cada uma das polícias, com promoções baseadas em mérito e capacitação do servidor; e o ciclo completo de investigação, em que o policial que presencia ou chega primeiro à cena do crime conduz a investigação.

Além dos três temas-chave, os policiais pretendem debater pontos comuns a todos, como proteção social para os agentes de segurança pública, plano de saúde, a reforma administrativa que o governo federal pretende levar ao Legislativo e outras matérias que tramitam no Congresso Nacional e podem impactar os policiais.O Congresso de Policiais pretende convidar para os debates representantes de outras onze entidades de classe, incluindo os policiais legislativos e militares, agentes penitenciários e socioeducativos, servidores da Agência Brasileira de Inteligência, entre outros.   
LEGENDA:  Representantes da Cobrapol, Fenapef e FenaPRF em reunião para organização do Congresso