Reajuste para Polícia Civil cobre só um quinto da inflação

304

A Alesp (Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo) aprovou no último dia 14 de março o projeto de lei do governador Geraldo Alckmin (PSDB) que reajusta em 4% o salário dos policiais civis, no entanto a inflação acumulada desde 2014 é de quase 25%, de acordo com dados oficiais do Banco Central do Brasil.

O Sincopol (Sindicato Regional dos Policiais Civis do Centroeste Paulista) representa os policiais dos quase 50 municípios englobados pelas Delegacias Seccionais de Marília, Ourinhos, Assis e Tupã. O presidente da entidade, Celso José Pereira, considera o reajuste aprovado como um “disparate”. A oposição na Alesp reivindicava ao menos 7% de reajuste para todo o funcionalismo, mesmo índice concedido aos professores da rede de ensino estadual.

Policiais civis, da técnica e militares ainda receberão 0,5% a mais de reajuste do que os funcionários das demais áreas do Governo do Estado.  O presidente do Sincopol lembra que está previsto na Constituição Federal o direito à reposição inflacionária, que vem sendo ignorado sistematicamente.

“Ficamos quatro anos sem recomposição salarial e quando o reajuste vem, ele é ínfimo. O Sincopol faz seu papel e denuncia a forma desrespeitosa com que o governo tucano trata os policiais civis. O governo do Estado é bom mesmo em deturpar a realidade em peças publicitárias eleitoreiras”, afirma Celso.