Policiais Civis protestam por todo o país contra reforma previdenciária

131

Policiais Civis de todo o Brasil foram às ruas no dia 4 de fevereiro para protesto contra reformas previdenciárias em andamento, e até mesmo aprovadas em algumas unidades da federação, com retrocessos nos benefícios da categoria. As manifestações foram articuladas com apoio da Cobrapol (Confederação Brasileira de Trabalhadores Policiais Civis).

A entidade de classe de âmbito nacional conta com a filiação do Sincopol (Sindicato Regional dos Policiais Civis do Centroeste Paulista), que apoia os atos ocorridos no Acre, Amazonas, Bahia, Pará, Tocantins, Minas Gerais, Rio Grande do Sul, Rio de Janeiro, Santa Catarina e Mato Grosso do Sul.

O presidente do Sincopol, Celso José Pereira, representa os policiais civis das Delegacias Seccionais de Marília, Ourinhos, Tupã e Assis – região com mais de 50 municípios. Ele explica que as mobilizações “exigem o direito à aposentadoria dentro do princípio da isonomia com os policiais militares, assegurada a integralidade e a paridade na concessão dos benefícios”.

Todas as manifestações também respaldaram decisão da Cobrapol de lutar, na Câmara dos Deputados, pela aprovação na votação da PEC 133/2019, chamada de Paralela da Previdência, de uma garantia constitucional justamente para que seja dado aos policiais civis o mesmo tratamento hoje assegurado aos policiais militares.

“Inclusive, essa é uma condição fundamental para que reformas estaduais não ameacem a aposentadoria policial, como hoje acontece em vários estados”, afirma o presidente da Cobrapol, André Luiz Gutierrez. No dia 4 ele participou de manifestação em Salvador (BA).

LEGENDA: Manifestação em Salvador contou com presença do presidente da Cobrapol,  André Luiz Gutierrez, aliado do Sincopol (Foto: Divulgação)