FEIPOL SUDESTE PARTICIPARÁ DE GRUPO DE TRABALHO QUE TRATA DE REIVINDICAÇÕES DA POLÍCIA CIVIL NA SSP-SP

103

A presidência da Federação Interestadual dos Trabalhadores Policiais Civis da Região Sudeste do país (FEIPOL/SE) indicará um representante para integrar o Grupo de Trabalho (GT) formado em outubro pela Secretaria imagem feipol 14.01.2016Estadual de Segurança Pública (SSP-SP) com o objetivo de analisar as principais reivindicações trabalhistas dos policiais civis do estado de São Paulo. Nesta sexta-feira, 8 de janeiro, foi publicada no Diário Oficial do Estado complementação à Resolução, que instituiu a composição do GT, que
deveria encerrar os trabalhos em 13 de janeiro, mas que deverá pedir
prorrogação do prazo. A participação de representação direta da
representação dos trabalhadores no Grupo deverá acelerar o andamento nas
negociações. No último dia 6 de janeiro, representantes de Sindicatos do interior do estado da Polícia Civil de São Paulo, filiados à FEIPOL/SE), presidida por Aparecido Lima de Carvalho, o Kiko, foram recebidos pelo secretário estadual de Segurança Pública, Dr. Alexandre de Moraes, em reunião ocorrida, no prédio da SSP-SP. No encontro, o secretário voltou a ouvir reivindicações da categoria, que está sendo penalizada com diversos problemas, como a falta de funcionários, más condições de trabalhos e defasagem salarial.  Durante mais de uma hora, os presentes puderam dialogar com o secretário, que disse que as questões expostas precisam ser resolvidas rapidamente para valorizar os servidores e garantir melhor atendimento à sociedade. Foi no encontro que o secretário concordou em colocar no GT um representante indicado pela FEIPOL/SE.
Alexandre Moraes disse que, apesar das crises, econômica e política, que afetam todo o país, é intenção do governo paulista tratar, neste ano de 2016, a Segurança Pública como prioritária, seguida das áreas de Saúde e Educação. Dependendo ainda de disponibilidade financeira, a meta principal seria iniciar a recomposição dos quadros da Polícia Civil, incorporando mais de dois mil policiais, entre investigadores, escrivães e delegados, aprovados em concursos realizados desde 2013. O secretário disse que está em estudo na SSP fórmulas para que os concursos sejam concluídos de maneira mais célere. Outra questão prioritária e que igualmente dependerá da arrecadação do
estado, é a reposição salarial para os policiais, compromisso que, por força da Constituição Federal, deveria ter ocorrido no ano passado. Para garantir verbas para cumprimento das metas de reposição de pessoal e recomposição
salarial, os investimentos em meios materiais, como viaturas e prédios, devem ficar mais restritos neste ano de 2016.
No encontro, os sindicalistas reforçaram ao secretário os problemas que a categoria enfrenta, não apenas relacionadas aos salários, mas com muitos policiais atuando fora de sua função por falta de contingente; outros
trabalhando em prédios em situação precária que não oferecem condições para quem neles atuam e muito menos para a população que busca ajuda. Também foi cobrada a defasagem no auxílio alimentação dos policiais civis.
O secretário disse aos sindicalistas que sempre está disposto ao diálogo e, se convidado, irá em assembleias da categoria para falar abertamente sobre como cada uma reivindicação está sendo encaminhada e das possibilidades de serem parcial ou totalmente atendidas. Ele quer manter ainda encontros frequentes com representantes dos policiais civis e para isso já convidou a FEIPOL/SE, que é presidida por Aparecido Lima de Carvalho, o Kiko,
presidente do Sinpol Campinas, para a composição do GT criado para estudar a pauta de reivindicações.
Segundo o secretário, o objetivo, tanto da SSP- SP como o de todos policiais paulistas é oferecer serviço de melhor qualidade à toda a população.

Att,
Aparecido Lima de Carvalho
Presidente Sinpol Campinas / Feipol Sudeste

Sindicato dos Policiais  Civis da Região de Campinas
CNPJ 66.069.030/0001-62
Rua Mal Deodoro,81 – Centro
13010-300 – Campinas -SP
Fone: (19) 3237-0621